HID Biometrics lança ‘white paper’ sobre segurança de dados

51950.146A HID Biometrics, empresa global responsável por dois em cada três sensores biométricos instalados nos caixas eletrônicos do Brasil, lançou recentemente um “white paper” sobre como se proteger contra o uso criminoso de dados biométricos roubados (Protecting against criminal use of stolen biometric data). Mesmo sendo de conhecimento público de que nenhuma tecnologia está 100% protegida de ataques de hackers e ações fraudulentas, sabe-se que o sensor Lumidigm® de imagem multiespectral classifica corretamente 99,5% dos usuários. Diante da invasão sem precedentes ao sistema do governo norte-americano, que aconteceu no ano passado, a empresa líder de mercado se posicionou oficialmente sobre o assunto.

O fato de a autenticação biométrica ser o único método que liga uma pessoa a vários documentos físicos e digitais foi o primeiro ponto ressaltado. Afinal, as características intrínsecas a um indivíduo – principalmente sua impressão digital – eliminam uma importante quantidade de tentativas de fraude. Ainda assim, imagens de impressões digitais podem ser roubadas. Daí a importância de contar com um sistema que não apenas reconheça a imagem da impressão digital, mas exija comprovação de que o verdadeiro usuário é quem está acionando o sensor biométrico em determinado momento. Neste sentido, a tecnologia de imagem multiespectral emprega diversos comprimentos de ondas luminosas em conjunto com modernas técnicas de polarização para obter características singulares da impressão digital, tanto da superfície da pele quanto de uma subcamada que reproduz o mesmo padrão. Ou seja, através da identificação dos vasos sanguíneos e de outras estruturas da pele, há a comprovação não só de que se trata da pessoa certa, como também é possível comprovar que a pessoa está viva – impedindo atitudes cruéis.

O documento também faz considerações sobre a importância de empresas e organizações avaliarem o uso de uma autenticação multifatorial. Mais do que aposentar as senhas e pins, trocando pela identificação da impressão digital, sistemas robustos devem investir numa tecnologia que combine biometria com outros fatores de autenticação, fazendo uso, por exemplo, de smartphones, cartões de radiofrequência (RFID) e outros dispositivos inteligentes. Com um ou mais fatores combinados com a autenticação biométrica, é possível atingir um nível de segurança muito mais confiável do que simplesmente “login e senha”. Só assim uma pessoa terá total controle sobre sua real identidade.

Em 2015, a HID Global confirmou sua posição de líder mundial em soluções de identificação segura ao integrar a tecnologia biométrica Lumidigm® aos leitores de cartões inteligentes OMNIKEY. O leitor V371 foi projetado para simplificar processos e transações, combatendo o uso de impressões digitais falsas. Com isso, administradores de programas podem verificar as identidades dos usuários através de um leitor que reconhece tanto o cartão, quanto a impressão digital do usuário, eliminando tentativas de fraude através de cartões compartilhados ou roubados. Originalmente concebido dentro de um programa nacional de registro civil, o V371 é uma ferramenta singular para toda verificação de identidade em que os indivíduos inserem suas informações de impressão digital em um cartão.

Para ter acesso ao White Paper, clique aqui: https://info.hidglobal.com/LAM-WP-ProtectingAgainstCriminalUseofStolenBiometricData-PT_Request.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *