Seminário “Sistemas de detecção wireless e seus dispendiosos equívocos contra os consumidores

Eng. Aleksander Grievs (à esquerda) e o Cel. Carlos Cotta (à direita), durante o Seminário no Instituto de Engenharia.
Eng. Aleksander Grievs (à esquerda) e o Cel. Carlos Cotta (à direita), durante o Seminário no Instituto de Engenharia.

Com o apoio da ABSEG, foi realizado no dia 20 de setembro no Instituto de Engenharia, o seminário “Sistemas de detecção wireless e seus dispendiosos equívocos contra os consumidores”, organizado pelo Coordenador da Divisão de Engenharia de Incêndio do IE e o Coronel da Reserva do Corpo de Bombeiros, Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho Carlos Cotta Rodrigues, sendo os palestrantes e debatedores o próprio Cel. Cotta e o Eng. Aleksander Grievs, Diretor do Comitê de Incêndio e Explosão da ABSEG.

O seminário apresentou uma inovação com a transmissão ao vivo em videoconferência para todo o Brasil com a participação confirmada de 60 participantes que enviaram perguntas que foram respondidas pelos palestrantes.

O tema foi escolhido pela importância e atualidade, tendo em vista que cada vez mais a área da segurança no Brasil está se deparando com uma inovação tecnológica de grande relevância, mas que está sendo conduzida de maneira não técnica, quer seja pelos Corpos de Bombeiros de todo o Brasil, quer seja pelos profissionais que pretendem economizar em suas instalações relacionadas com sistema de detecção de incêndio.

Neste contexto, lamentavelmente no Brasil, algumas empresas no país estão se aproveitando deste panorama de baixa capacidade técnica e textos legais mal escritos, bem como de uma “cegueira deliberada” consolidada, para vender a ideia de que tudo se resolverá com sistema wireless. É extremamente necessário conhecer tal tecnologia para a sua correta aplicação, e até que ponto as Normas, tanto nacionais como as internacionais permitem e exigem tanto para o projeto como para a fabricação e instalação, principalmente nas aplicações de proteção contra incêndio.

Um dos itens que o Eng. Grievs ressaltou logo no início da sua palestra, foi a importância da Certificação de Produtos e Serviços ressaltando os conceitos básicos definidos pela legislação nacional, conforme abaixo:

a) A certificação de produtos e serviços é uma atividade realizada por uma entidade independente, acreditada por um órgão certificador. Seu objetivo é verificar a conformidade em relação a um padrão estabelecido.

b) O objetivo da certificação é:

      • A garantia da qualidade de tais produtos e serviços e, a sua condução em cada país é organizada por uma instituição determinada.

Desta maneira existem alguns elementos que são necessários para se atingir o objetivo da certificação, tais como:

      • Organismo nacional responsável pelas políticas de metrologia;
      • Organismo responsável pela elaboração de normas técnicas;
      • Organismos acreditados pelo organismo nacional, para realização da certificação;
      • Laboratórios acreditados para a realização de ensaios e análises.

Dentro dos conceitos apresentados e de acordo com a legislação atualmente em vigor, no Brasil:

      • O organismo responsável pelas políticas nacionais de metrologia é o INMETRO;
      • Além disto, o INMETRO é responsável por acreditar os organismos certificadores e laboratórios;
      • A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT é a responsável pela elaboração das normas nacionais, ou adaptação das normas internacionais à realidade brasileira.

Infelizmente o mercado da segurança na sua grande parte desconhece a legislação ou a ignora propositadamente, o que resulta em uma falha nos projetos de segurança, sejam eles contra incêndio ou empresarial.

No tocante aos sistemas sem fio (wireless), desde a fase de projeto não se leva em consideração premissas importantes como:

      • Garantir a confiabilidade da transmissão/recepção;
      • Alcançar e/ou superar o nível de confiabilidade existente nas aplicações que utilizam a cablagem ou fibra óptica.

Ambos os palestrantes consideram inadmissível que no país, os projetos e as instalações não levem em consideração itens básicos que podem afetar ou tornar um sistema totalmente não confiável, como:

      • Estruturas;
      • Barreiras físicas;
      • Interferências eletromagnéticas;
      • Alta utilização de comunicações via rádio.

O Cel. Cotta apresentou exemplos de instalações que foram auditadas por ele nas quais erros de projeto, utilização de equipamentos não certificados e má instalação resultaram em sistemas de segurança com baixíssima ou nenhuma confiabilidade, ressaltou que o número de instalações nestas condições é alarmante.

O Eng. Grievs no decorrer do seminário apresentou uma análise técnica resumida da tecnologia wireless para sistemas de proteção de incêndio utilizados na Europa e nos Estados Unidos, ressaltando as limitações impostas pelas normas que implicam em restrições do seu emprego principalmente em áreas industriais, devido à grande quantidade de potenciais interferências que tais áreas são geradoras. Enfatizou que as autoridades não recomendam e inclusive em alguns casos, restringem o uso destes sistemas.

No encerramento do seminário foram respondidas as questões enviadas pelos participantes de outras localidades que assistiram via You Tube.

Fonte: ABSEG

http://www.abseg.org.br/acontece/seminario-instituto-de-engenharia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *